Ferj estuda possibilidade de jogo em maio e sem torcida

A ideia vai depender do aval das autoridades governamentais de da saúde

Brazil Photo Press/Folhapress

Em reunião, via videoconferência, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro montou uma comissão de médicos para estudar a possibilidade de retornar às atividades em maio, com portões fechados. No entanto, a bola voltará a rolar apenas com autorização vindas do Estado.

Confira a nota oficial da Ferj!

Com planejamento seguro, responsável e alinhado com os órgãos governamentais, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e os departamentos médicos de America, Bangu, Boavista, Botafogo, Cabofriense, Macaé, Resende, Volta Redonda, Flamengo, Fluminense, Portuguesa, Friburguense, Madureira e Vasco debateram na tarde desta segunda-feira (13/04) a elaboração do protocolo Jogo Seguro para a volta das atividades – apenas quando permitidas pelas autoridades sanitárias.

Antes do compartilhamento de ideias, um Grupo de Trabalho foi formado para compilar as sugestões de todos os responsáveis: Christiano Cibelli (Botafogo), Eduardo Moraes (Boavista), Márcio Tannure (Flamengo), Marcos Teixeira (Vasco) e Celso Ramos Filho (Professor Titular de Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina da UFRJ).

O GT apresentará o texto do protocolo na próxima quarta-feira (15/04) para todos os médicos darem a validação. Esse documento será enviado aos órgãos governamentais.

Alguns pontos abordados foram: critérios de inclusão no grupo estabelecido para as atividades, sendo um número necessário; deslocamento do atleta; uniformes e acessórios; formação de corredor de segurança no local de treino; desinfecção e descontaminação; uso de sanitários; cuidados individuais; proibição de abertura de outros locais, como restaurante, cozinha…

– A confecção desse protocolo Jogo Seguro é uma diretriz responsável e planejada para o retorno. É um trabalho pioneiro no Brasil. E criaremos uma Comissão Temporária na FERJ para o COVID-19 para acompanhamento e consultorias para os diversos casos (clubes) – disse o presidente da FERJ, Rubens Lopes.