Bolsonaro defende fim de medidas de isolamento nesta semana

Presidente afirmou que se recusou a assinar decreto estabelecendo multas para quem circular na rua

Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta segunda-feira que terminem nesta semana as medidas que restringem a circulação de pessoas para frear a propagação do novo coronavírus . Desde meados de março, governadores e prefeituras incentivaram a quarentena, em contraposição ao posicionamento de Bolsonaro.

— Eu espero que esta seja a última semana dessa quarentena, dessa maneira de combater o vírus — disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que governadores e prefeitos podem decretar isolamento na pandemia. A medida tem sido adotada pela maioria dos países como forma de frear o aumento brusco no contágio pelo coronavírus, achatando a curva e diminuindo a possibilidade de colapso no sistema de saúde. O governo recorreu da decisão do STF.
De acordo com Bolsonaro, essas medidas “não atingiram seu objetivo”.
— Tudo que é feito com excesso acaba tendo problema. Essas medidas em alguns estados não atingiram seu objetivo.
O presidente relatou que um ministro, sem especificar qual, queria que ele assinasse um decreto para estabelecer multas para quem circular na rua, mas disse que não concordou.
— Um ministro meu queria que eu colaborasse com um decreto para multar quem está na rua. Eu falei “não”.