Justiça suspende reabertura de salões, clínicas e prestação de serviços em Ribeirão Preto/SP

Ficam proibidos funcionamento de estabelecimentos os salões de beleza e escritórios de advocacia

Fabio Benedicto/Agora On

A decisão foi publicada na noite desta terça-feira (28) e acata em parte Ação Civil Pública movida pelo MP-SP (Ministério Público de São Paulo), com isso, clínicas odontológicas e de estética, salões de beleza, serviços autorizados de manutenção e conserto, atividades internas em escritórios de advocacia e contabilidade, e funcionários que prestam serviços em diferentes áreas voltam a ter o trabalho suspenso na cidade.

A juíza Lucilene Aparecida Canella de Mello, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Ribeirão Preto, suspendeu os efeitos do decreto publicado pela Prefeitura de Ribeirão Preto, desta forma, apenas os serviços considerados essenciais podem continuar a funcionar normalmente.

O governo municipal informou que vai seguir integralmente as medidas de quarentena estabelecidas no decreto estadual.