Supera Parque de Ribeirão Preto é credenciado para testes do novo coronavírus

Parque tem capacidade para realizar a leitura de até 120 testes diários e emitir resultados em até 72 horas, dando agilidade ao atendimento dos pacientes

GETTY IMAGES
O Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto foi credenciado, nesta quarta-feira-feira (29), pelo Instituto Adolfo Lutz para testagem do novo coronavírus (Covid-19) em Ribeirão Preto, um passo importante no combate à pandemia do COVID—19 na cidade. O credenciamento será publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo de amanhã, dia 30.

A habilitação para a realização do exame molecular do coronavírus – recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelo Ministério da Saúde -, se deu nove dias após a equipe de pesquisadores ter iniciado as testagens dos protocolos, o que comprova a competência dos mais de 100 profissionais envolvidos na ação.

Com isso, a partir de agora, o Supera Parque passa a integrar o rol de laboratórios da rede capacitados para a realização dos testes e os resultados obtidos passam a fazer parte dos dados oficiais do município, do Estado e do país.

“Na prática, a habilitação do Supera Parque significa que a metodologia desenvolvida aqui tem toda a qualidade exigida e necessária, e que estamos suficientemente alinhados ao que é preconizado pela OMS, pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto Adolfo Lutz”, explica o superintendente do Supera Parque, Sandro Scarpelini.

O Supera Parque tem capacidade para realizar a leitura de até 120 testes diários e emitir resultados em até 72 horas, dando agilidade ao atendimento dos pacientes. Além disso, ao integrar os dados oficiais, o Supera Parque contribui para a construção de políticas públicas epidemiológicas efetivas no combate à doença.

APROVAÇÃO

Para que a habilitação fosse possível, a incubadora e as 18 startups envolvidas passaram por uma etapa de testes de capacidade técnica e operacional que aconteceu da seguinte forma:

O Instituto Adolfo Lutz encaminhou amostras de exames moleculares que já haviam sido analisados por sua equipe pesquisadores, sem revelar quais eram os resultados obtidos para os profissionais ribeirão-pretanos.

Ao receberem as amostras, os pesquisadores realizaram a leitura dos testes, seguindo todos os protocolos indicados pelo Instituto. Os resultados obtidos foram encaminhados para a capital para comparação dos dados, protocolos realizados, e, então, o Instituto atestou a qualidade do serviço prestado.

BIOBANCO

Todo o material testado no âmbito do Supera Parque será devidamente armazenado e, ao fim da pandemia, será enviado para o Instituto, onde integrará um biobanco que reunirá todas as amostras da rede.

SUPERA PARQUE

O Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, gerido pela Fipase, é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto em conjunto com a Universidade de São Paulo (USP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, bem como diversos órgãos estaduais e federais, são apoiadores do empreendimento. Instalado no Campus da USP local, o Parque abriga a Supera Incubadora de Empresas, o Supera Centro de Tecnologia, a associação do Arranjo Produtivo Local (APL) da Saúde, o Polo Industrial de Software (PISO), além do Supera Centro de Negócios.

Ao todo, são 74 empresas instaladas no Parque, sendo: 62 delas no Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica; e 12 empreendimentos no Centro de Negócios.