Viaduto da Maria de Jesus Condeixa começa a receber mais seis estruturas de 22 toneladas

Serão 12 vigas de 16 metros e 22 toneladas para ligação com a Antônio Diederichsen e outras 12, de 33 metros e 56 toneladas, sobre a Francisco Junqueira

Alexandre de Azevedo

O viaduto da avenida Maria de Jesus Condeixa, que permitirá a ligação com a Antônio Diederichsen sobre a Dr. Francisco Junqueira, já instalou metade das vigas de concreto pré-moldadas que irão sustentar a obra de arte. Ao todo, serão implantadas 12 estruturas de 16 metros de extensão e 22 toneladas, sendo seis na avenida Antônio Diederichsen e as outras seis na Maria de Jesus Condeixa.

A etapa teve início na semana passada, quando metade delas foi instalada no sentido Condeixa – Presidente Vargas. Na manhã desta quinta-feira (7), a empresa responsável pela construção iniciou o processo no sentido contrário. O projeto faz parte das mais de 30 intervenções viárias do Programa Ribeirão Mobilidade.

“As peças darão a sustentação para receber a construção de laje de concreto, que receberá a pista de rolamento. Na sequência, serão implantadas outras 12 vigas pré-moldadas, de 33 metros e 56 toneladas cada, para sustentar o trecho do viaduto que passará sobre a avenida Dr. Francisco Junqueira”, afirmou o prefeito Duarte Nogueira durante visita às obras.

Para garantir a segurança dos operários durante o processo, a CPFL cortou a energia dos fios de alta tensão. O alteamento da rede elétrica será realizado logo após a conclusão desta etapa do projeto.

“Por questões de segurança, a distância mínima do veículo que passa sobre a ponte e a catenária de energia elétrica tem que ser de oito metros. Teremos, aproximadamente, três mil metros cúbicos de concreto utilizados nesta obra, meia tonelada de aço a serem colocados nessas torres e 24 vigas pré-moldadas protendidas”, explicou o secretário de Obras Públicas, Pedro Luiz Pegoraro.

Benefícios

“O viaduto fará uma ligação, até então inexistente, entre as zonas Oeste e Sul com a Leste. É uma obra que irá tirar um ponto muito crítico no trânsito da nossa cidade e que era necessário há muito tempo. Além da funcionalidade que trará pra Ribeirão Preto, garantirá maior qualidade de vida a todos os motoristas e usuários do transporte público no nosso município”, afirmou o prefeito Duarte Nogueira.

Com investimento inicial previsto em R$ 20.180.431,35, a Construtora Hejos foi contratada via processo licitatório por R$ 15.285.365,82, gerando uma economia de R$ 4.895.065,53 aos cofres públicos. Com prazo de execução de 18 meses, o serviço irá beneficiar os moradores dos bairros Castelo Branco, Iguatemi, Santa Cruz do José Jacques, Vila Seixas, Jardim Macedo, Jardim América e Centro. As obras tiveram início no final de agosto de 2019.

Ao todo, serão 98 metros lineares de obras de arte e cerca de 200 metros de estruturado, três mil metros cúbicos de concreto utilizados, meia tonelada de aço a serem colocados nas torres e 24 vigas pré-moldadas protendidas.