Tributo Somos Tão Jovens promove live em prol do Conexão Positiva

Fazer conexões com pessoas, ideias, transmitir pensamentos e possibilitar encontros coletivos para quem está em casa cumprindo a quarentena durante a pandemia de coronavírus (covid19). As lives musicais têm sido um dos principais programas de cultura e entretenimento em tempos de distanciamento e isolamento sociais e, aproximam públicos de qualquer localidade. Esses encontros online têm tomado a cena da internet e juntado multidões em shows e produções musicais nos últimos quase três meses, muitos inclusive, em defesa de causas solidárias em nome de artistas que estão sem oportunidade de trabalho, entidades, projetos e ações. Pegando carona com esta proposta, a banda Somos Tão Jovens – Tributo Legião promove neste domingo (7), das 17h às 19h, a live solidária #SempreEmFrente em prol do projeto “Conexão Positiva”. A transmissão, ao vivo, acontece pelos perfis da banda no Youtube e no Facebook e, desta vez, traz a proposta de engajar e sensibilizar pessoas para um projeto social criado em grupo corporativo com atuação nos Estados de São Paulo e Minas Gerais.

A live tributo visa arrecadar todo tipo de doações – não apenas em dinheiro ou mantimentos. Quem participar vai poder doar inclusive habilidades, proposta inserida no DNA do projeto “Conexão Positiva”, que foi idealizado pelo grupo que congrega as empresas Bild Desenvolvimento Imobiliário e Vitta Residencial Construtora e Incorporadora. Quem tiver interesse em participar poderá fazer sua doação pelo link do Sharity:
https://sharity.com.br/conexao-positiva-2?u=297e9d057ce811eabd100a536da30ee4.

Conexão pela música
Segundo o guitarrista da banda, Evandro Grili, o show fará um mergulho na obra da Legião Urbana e nas canções que viraram hinos de gerações e, que neste momento, passaram por uma releitura dos músicos do tributo de forma a envolver o público que está em casa conectado na cena das lives. “Montamos uma playlist em diferentes atos. Nossa intenção é apresentar a obra da Legião dividida nas temáticas do amor, do protesto e das canções que viraram filmes”, explica. O músico também revela que haverá momentos acústicos, além de vídeos e depoimentos.

Para os músicos do tributo, lançado em. 2016, um dos fatores surpreendentes da pandemia é que, mesmo com as dificuldades e incertezas que todos vivenciam, há um encontro geracional dentro das casas, onde jovens estão convivendo com os pais, avós ou crianças. A banda já tinha percebido antes, em seus shows ao vivo, que boa parte da plateia é formada por uma juventude que não tinha nascido quando a Legião Urbana original encerrou suas atividades com a morte de Renato Russo (vocalista e compositor), mas que muitas vezes vinha acompanhada dos pais e filhos. “Com este sentido, a obra da Legião Urbana é um canal de interlocução entre as gerações e neste contexto da quarentena é uma das chaves que liga todo mundo que está em casa”, relata Grili.

A oportunidade de expandir o som da banda para o projeto “Conexão Positiva” foi bem-vinda também para a direção do projeto, que nasceu com o princípio de promover um movimento de empatia entre os colaboradores do grupo corporativo no setor da construção civil. “Com a pandemia, percebemos que seria um momento ideal de darmos as mãos e nos apoiarmos uns aos outros”, relata Adriana Bonemer, gerente executiva de branding. A gestora acrescenta que durante a pandemia, o grupo não demitiu e nem reduziu o salário de quase 2 mil colaboradores e, ainda tem buscado soluções para auxiliar pessoas que passam dificuldades neste momento histórico para o país.

“A live em parceria com o grupo Somos Tão Jovens, que já tem um público cativo e muito engajado, é mais uma forma de conectarmos pessoas, que vão fazer com que o nosso propósito possa ser ampliado e se expandir para outras cidades, muitas delas, onde também atuamos”, avalia Adriana.

O Projeto
O “Conexão Positiva” é uma iniciativa para promover a integração entre as pessoas que podem ajudar e as que estão precisando de ajuda. Adriana Bonemer conta que o projeto é formado por empresas, colaboradores, instituições e diversos parceiros. Para ela, a live em parceria com o grupo Somos Tão Jovens, que já tem um público cativo e, muito engajado em causas relevantes, é mais uma forma do grupo e da banda conectarem pessoas com propósitos semelhantes. “Queremos conectar pessoas que querem fazer diferente e que veem significado em tudo que fazem. Gente que, certamente vai fazer com que o nosso propósito possa ser ampliado além do nosso ecossistema e se expandir para a comunidade como um todo. Assim, vamos realizando, de mãos dadas, ligações relevantes que se multiplicam formando uma conexão positiva”, comenta.

O programa funciona da seguinte forma: quem não tem dinheiro, pode doar até uma habilidade como, por exemplo, um professor de dança, meditação, yoga ou de qualquer modalidade, pode propiciar aulas gratuitas; além de palestras e oficinas para fomentar o conhecimento ou ainda qualquer tipo de serviço que possa ser feito numa rede de apoio. Basta entrar no site e doar: dinheiro, algum item material ou o talento. Desta forma, até quem não tem condições financeiras de doar quantias em dinheiro, pode eventualmente doar-se para diminuir o sofrimento das pessoas que estão passando por dificuldades diversas em tempos de quarentena. Para conhecer mais, acesse o site: www.projetoconexaopositiva.com.br

Live Tributo
A live do Somos Tão Jovens Tributo Legião já estava programada para acontecer neste mês de junho, quando a banda teve acesso ao Conexão Positiva e, de cara, se encantou pelo projeto. “Achamos muito interessante porque tem um propósito de criar um ecossistema e não é voltado apenas às doações em dinheiro”, explica o vocalista Sérgio Missão. “A parceria com o Conexão Positiva está sendo muito bacana. Vamos fazer um belo espetáculo no domingo para que tudo dê certo”, complementa o baterista Victor Grili.

Somos Tão Jovens
O tributo homenageia o legado da Legião Urbana, banda de Brasília que revolucionou o rock brasileiro e, despontou entre os anos 80 e 90 e desde que caiu na estrada está percorrendo o país. Neste ano, o tributo tinha previsão de apresentar mais uma turnê, depois de uma temporada de sucesso de plateia, mas com a pandemia os shows foram temporariamente cancelados.

A proposta dos músicos é reviver os grandes hits que fazem a cabeça dos legionários, diferentes gerações que são formadas com fãs até hoje. O último show aconteceu no dia 6 de março (sexta-feira), em São Paulo (capital).
A formatação do tributo reúne cinco músicos: Sérgio Missão (vocalista), Evandro Grili (guitarra e violão), Eduardo de Lucca (contrabaixo), Sandro Rezende (guitarra) e Victor Grili (bateria).

Repertório valoriza hits pops
Há 35 anos, em 1985, a Legião Urbana lançava o seu primeiro álbum. Começava ali a trajetória da maior banda de rock do Brasil. Músicas que marcaram gerações e foram passadas de pais para filhos, de filhos para netos. E o que mais impressiona é que, 35 anos depois, os temas, as letras e as mensagens cantadas por Renato Russo e a Legião Urbana continuam mais atuais do que nunca.

Uma das canções mais tocadas da banda é Pais e Filhos. “A música clama por amor, quase um pedido desesperado para amarmos as pessoas como se não houvesse amanhã¨. E ela nos toca ainda mais porque as pessoas estão precisando muito deste sentimento nos dias de hoje”, é o que avalia o baterista da banda, Victor Grili. Para o músico de 25 anos, o mais surpreendente do tributo é ver essa mesma relação de pais e filhos nas plateias por onde o tributo passa. “A cada show a gente reconhece duas a três gerações fazendo coro na plateia. Isso mostra a força da Legião Urbana e o quanto toda obra da banda ainda precisa ser revivida pelos fãs”.

Além de Pais e Filhos, o show traz outras canções: Há Tempos que sinaliza dor e redenção; Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto renova uma mensagem de inocência e sabedoria. Monte Castelo traz Camões e Bíblia com melodia de tempos imemoriais. E ainda hits como Tempo Perdido, Quase sem Querer, Eduardo e Mônica – que ganhará um filme neste ano, Que país é este, Índios, Faroeste Caboclo, Será, Índios e muitas outras. “São todas cantadas por fãs de diferentes idades. Para quem está no palco é mágico perceber e poder acompanhar até onde e quando essa obra da Legião pode alcançar eco”, comenta o vocalista Sérgio Missão.

Para os músicos do Tributo, apesar de fazer quase 25 anos que o rock nacional e milhares de fãs perderam Renato Russo e os shows da Legião Urbana, as canções se perpetuaram e se consagraram como verdadeiros hinos da juventude – que, no dizer de Renato, “têm seu próprio tempo”, independente das gerações.

Temporada de turnês
O tributo “Somos Tão Jovens – Legião Urbana” já fez mais de 40 apresentações desde quando iniciou suas apresentações em 2016. A banda já percorreu diversas cidades em todo o país. Já esteve outras vezes em São Paulo (SP) e ainda passou por Ribeirão Preto (SP), Franca (SP), Barretos (SP), Batatais (SP), Bebedouro (SP), Uberaba (MG), Pirassununga(SP), Araras (SP), Jaboticabal (SP), Cerquilho (SP), Botelhos (MG), Bandeira do Sul (MG), Limeira (SP), Sertãozinho (SP), Palmas (T0), Paulínia (SP), São Bernardo do Campo (SP) e São José do Rio Preto (SP). Em todas as cidades foi um grande sucesso de bilheteria.
Em 2020, além do show de São Paulo, capital, já havia compromissos marcados no Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, Uberlândia, Uberaba, Ribeirão Preto, cidades do Sul de Minas Gerais, entre outras – todos em análise por conta da quarentena decretada pelos órgãos competentes.
A agenda do tributo pode ser acessada pelas redes sociais: Facebook: somostaojovenstributo/ e Instagram: somostaojovenstributo/.

Serviço:
O que: Live Somos Tão Jovens – Tributo Legião, em prol do “Conexão Positiva”;
Quando: Domingo, 7 de junho
Horário: Das 17h às 19h
Transmissão pelos canais da banda:
Youtube: www.youtube.com/channel/UC-R0ur9KxQn8tR7TG8Tvh7g

Instagram: @somostaojovenstributo
Facebook: somostaojovenstributo