Ribeirão Preto está entre as 20 cidades com melhor qualidade de saneamento

Ranking da ABES tem 40 cidades na categoria Rumo à Universalização; levantamento reúne 1.857 municípios

Agencia Brasil

Ribeirão Preto está entre as 20 cidades de grande porte do país que integram o Ranking ABES da Universalização do Saneamento, com melhor qualidade de saneamento básico. A pesquisa é feita há quatro anos pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) e na edição de 2020 analisou os indicadores de 1.857 municípios, incluindo as 27 capitais brasileiras. O anúncio do ranking neste ano foi online, para se evitar aglomeração de pessoas.

Dante Ragazzi Pauli, coordenador da Câmara Temática da ABES de Comunicação, explicou que os municípios que estão na categoria Rumo à Universalização, como é o caso de Ribeirão Preto, “são cidades top”, porque dos 5.570 municípios brasileiros apenas 33% fornecem informações corretas e de qualidade sobre o saneamento. “Se considerarmos a população destes municípios chegamos a uma situação melhor, de 70%”, explicou.

Nos classificados como Rumo à Universalização, entre as cidades com mais de 100 mil habitantes, há apenas uma capital – Curitiba. Isso significa que Ribeirão Preto tem qualidade de saneamento melhor que outras 26 capitais brasileiras, que ainda estão em outras categorias como Compromisso com a Universalização e Empenho para a Universalização. O número de classificados como Rumo à Universalização também é pequeno, apenas 40 municípios no país.“Ribeirão Preto estar entre as 20 melhores cidades do país rumo à universalização é motivo de orgulho. É importante ressaltar que os dados são repassados pelos próprios municípios e o Daerp só informa dados consolidados e verídicos”, afirma o diretor técnico do Daerp, Lineu Andrade de Almeida.

Ele salienta que os dados utilizados para a avaliação da ABES são do Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS) do Ministério de Desenvolvimento Regional, que são informados pelas próprias empresas e autarquias de saneamento, e que os dados do ranking de 2020 são os informados em 2018, portanto não representam a realidade no momento da divulgação.

“A partir de setembro deste ano, o Ministério passará a fazer auditoria presencial para verificar os dados, o que tornará o sistema mais confiável do que é hoje. Ribeirão Preto deverá receber, ainda este ano, a auditoria dos técnicos do Ministério”, comenta o diretor técnico.

Cinco indicadores

O ranking ABES da Universalização do Saneamento é um importante instrumento de análise do setor no Brasil. A partir de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação adequada de resíduos sólidos, o ranking identifica o quão próximo os municípios estão da universalização do saneamento.

O ranking apura ainda os impactos da ausência ou precariedade do saneamento na saúde da população. Por fim, apresenta um panorama da situação de cada município do ranking em relação à formulação do Plano Municipal de Saneamento Básico – PMSB, instrumento fundamental para as políticas públicas de saneamento no país e condição para obtenção de recursos da União para esses serviços a partir de 2023. O PMSB de Ribeirão Preto está em atualização.