Adaptação ao novo consumidor e às novas tecnologias são principais desafios para empresários na retomada

Durante debate no LIDE LIVE Ribeirão, realizado nesta quarta-feira (1º/7), a presidente da Falconi Consultoria, Viviane Martins, ressaltou a importância das medidas para compreender a dinâmica de cada setor visando o desenvolvimento das ações de retomada dos negócios

No LIDE LIVE Ribeirão, Viviane Martins, presidente da Falconi, falou sobre o processo de retomada das empresas após a pandemia da Covid-19

O processo de retomada das empresas após a pandemia da Covid-19 exigirá a reinvenção de processos, produtos e serviços para se adaptar ao novo consumidor e as novas tecnologias. A avaliação do cenário foi descrita por Viviane Martins, presidente da Falconi, consultoria pioneira na introdução de técnicas de gestão no Brasil, durante o LIDE LIVE Ribeirão.

De acordo com Viviane, o período de pandemia fez as empresas passarem por desafios que não haviam sido enfrentados anteriormente e está exigindo atenção às novas realidades e oportunidades.

“Muitas empresas começaram 2020 com muito otimismo, esperando um ano de crescimento, mas tivemos que refazer nossas expectativas envolvendo a gestão de pessoas, a governança e todo o processo de administração do negócio”, diz Viviane.

Para a presidente da Falconi, o ponto de partida é conhecer a realidade da empresa em relação ao fluxo de caixa para conhecer seus limites e trocar experiências no processo de análise do cenário e do mercado de atuação.

“Medir o caixa é indispensável para avaliar as ações, já que os setores e regiões sofrem de forma distinta. O momento exige tomadas de decisões rápidas para acompanhar as mudanças que vem ocorrendo. Assim é importante buscar novos olhares e trocar experiências com outros grupos e profissionais que possam dar apoio”, comenta a consultora.

Em relação à retomada do ambiente de negócios, Viviane reforça que a principal orientação envolve a capacidade de planejamento e a percepção de que o processo ocorrerá de forma gradual em todos os sentidos.

“Não temos uma receita única, já que a retomada não será imediata. Por isso, é preciso entender o setor e as particularidades de cada região que terão ritmos diferentes. O importante é observar que a velocidade da gestão será diferente, precisamos falar da realidade do mês e fazer avaliações semanais. É importante estabelecer metas para o segundo semestre”, afirma Viviane.

Oportunidades

A executiva ressalta ainda que o período de pandemia trouxe uma sensação de vulnerabilidade exigindo mudanças de postura e posicionamento diferente por parte das empresas.

“Os consumidores mudaram seu comportamento, conheceram serviços e comodidades que vão querer manter, mas outras vão desaparecer com o tempo. De uma forma geral será importante reinventar produtos, serviços e canais. Será necessário fazer mudanças que podem ser simples e envolvendo a carteira de produtos, mas terão algumas mais profundas que podem afetar até o modelo de negócio”, observa Viviane.

De acordo com ela, as relações comerciais entre as empresas também merecem atenção durante o processo de retomada das atividades comerciais após o período de pandemia.

“As empresas que atuam no ambiente B2B também precisam ter esse olhar atento sobre o comportamento do consumidor. A cadeia de fornecimento terá uma nova perspectiva devido a necessidade de um mix global e regional, o que representa oportunidade para muitas empresas”, diz a presidente da Falconi.