Summit aborda macrotendência, mudanças e tecnologia do mercado imobiliário

O primeiro dia do Summit Novo Mercado Imobiliário contou com três painéis e a participação de profissionais e empresas do setor

Summit Painel 3

Summit Novo Mercado Imobiliário começou nesta terça-feira (7/7) e discutiu assuntos relacionados ao setor de moradia como macrotendências, consumo e tecnologia do mercado imobiliário, transmitido ao vivo pelo canal Youtube. O debate é uma realização da Terravista, em parceria com Datastore e o grupo formado pelas empresas Bild Desenvolvimento Imobiliário e Vitta Residencial Construtora e Incorporadora e Felí (correspondente bancário). A participação é gratuita.

Summit Painel 1

O primeiro painel, “As macrotendências do mercado imobiliário”, contou com a participação do sócio diretor da Bild Desenvolvimento Imobiliário e Vitta Residencial Construtora e Incorporadora, Rodrigo Villas Boas; do presidente da Datastore, Marcus Araújo; e do co-fundador da Housi, Otto Borges, e mediação do CEO da Reis Real Estate, Ricardo Reis. O debate traçou uma expectativa de como o mercado imobiliário poderá estar no cenário pós pandemia. Para Rodrigo Villas Boas, desde o começo da pandemia a perspectiva sempre foi boa para o setor da construção civil, tido como serviço essencial durante a pandemia, mantendo assim o funcionamento normal. “Notamos que nos meses seguintes, após o início da pandemia, tivemos os melhores meses de vendas para o grupo, comparando até mesmo antes do coronavírus”, disse.  De acordo com o CEO da Bild e Vitta, o mercado está agindo acima de suas expectativas. “O mercado imobiliário brasileiro tem tudo para explodir nos próximos anos, essa é a tendência”, acrescenta.

Já o presidente da Datastore, Marcus Araújo, reforçou as expectativas e ainda fez um alerta positivo para o período. “Nunca, nossas forças de vendas participaram de tantos eventos e estudaram tanto. Ninguém ficou na pandemia se lamentando, todos ficaram em casa, mas aproveitaram para agregar e aprender com novos palestrantes que também surgiram”. Otto Borges, da Housi, destacou que o divisor de águas durante essa pandemia foi o mês de março e abril, com um cenário adverso. “O mês de abril foi quando todos entenderam a gravidade. Já os meses seguintes, vieram para recuperar. Além disso, o mercado teve que se recolocar e a inovação digital foi eficiente nesse quesito”.

Summit Painel 2

Na sequência da discussão aconteceu o segundo painel com o tema “Tendência de consumo – O que deve mudar nos próximos lançamentos?”, com Alexandre Spezialli (MRV), Fabio Terepins (Vibra Residencial), Fernando Pruner (Docol), Frederico Escobar (Pacaembu) e Rafael Batista (Perplan). O debate abordou temas como home-office, o despertar de novos desejos de compras e até a questão da higiene como novo comportamento nos próximos anos. “Haverá um equilíbrio. Com o home-office, as pessoas ficaram mais em casa. Por isso, vejo mudanças atuais, como edifícios inteligentes com mais infraestruturas, implementação das áreas comuns com novos atrativos”, disse Alexandre Spezialli, da MRV. Fabio Terepins, da Vibra Residencial, disse que durante a pandemia, o desejo de compra de imóveis aumentou. Mas, segundo ele, a forma de vender também mudou muito. “Fizemos treinamentos, criamos plataformas, tivemos mudanças nas vendas, mas o mês de junho foi o mês que mais vendemos em 2020”.

Para o encerrar o ciclo do dia, o terceiro painel abordou o “Impacto das novas tecnologias no mercado imobiliário” e trouxe Gustavo Zanotto, head de inovação da Café Imobiliário; João Paulo Geroldo, especialista em tecnologia e inovação; Adir Filho, cofounder da Noah e Kim Morise, head de inovação da Bild e Vitta. Juntos, o time de profissionais em inovação discutiu os impactos e mudanças da tecnologia no mercado imobiliário. Para João Paulo Geroldo, existem ainda solavancos em um setor em que o nível de digitalização ainda é muito baixo. “É difícil mudar de uma hora para a outra. Ainda há muitos gaps de processos e como o setor trabalha com grandes players, a tecnologia vem para colaborar, mas é uma questão de tempo”. Já Adir Filho, fundador da Noah, acredita que é preciso enxergar uma nova tecnologia, pois o mundo está em constante evolução. “A tecnologia nasce da necessidade, por isso, a importância de um processo construtivo inovador. A tecnologia cria uma nova forma de consumo e o comportamento de consumo cria uma nova ferramenta tecnológica. Por isso, para entregar uma solução temos que mostrar valores antes de mais nada”.

O head da Bild e Vitta, Kim Morise, destacou que a indústria da construção civil é muito rica em diversidade e complexidade, além de envolver uma cadeia com vários setores. “É necessário realizar a transformação digital. Precisamos olhar para nossa estratégia e enxergar o que somos hoje e onde queremos chegar: a curto, médio e longo prazo. Temos hoje dois desafios: um é olhar para o cliente, para entender como é o comportamento de uso dele. E o outro é a avaliarmos nossas capacidade de nos moldarmos a esse novo comportamento do consumidor, porque em quatro anos, muita coisa muda, que é o ciclo de conclusão de um produto, no caso os edifícios”, destacou.

O Summit continua nesta quarta e quinta-feira (8 e 9/7). As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas pelo site: https://materiais.queroterravista.com.br/novo-mercado-imobiliario-summitO link de acesso ao Summit será encaminhado a cada participante por e-mail.