Especialista dá dicas de cuidados com carros e motos durante período de isolamento social

Por conta da pandemia da covid-19 e a população ficando mais tempo em casa, os carros estão rodando menos e podem apresentar problemas

Foto: Freepik

 

Segundo dados do DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito) referente ao mês de abril de 2020, o Brasil tem mais 80 milhões de automóveis e motos. Com a pandemia da covid-19 e a adoção do isolamento social, como medida preventiva para conter a disseminação do vírus, grande parte da população tem ficado mais tempo em casa e, como consequência, os veículos automotores também passaram a circular menos nas ruas.

A tutora do Núcleo Comum de Engenharia da Anhanguera de Araraquara, Profa. Dra. Karla R. Pereira, lista os principais problemas causados por falta de uso dos veículos, cuidados necessários para evitá-los e recomendações técnicas. Além disso, traz dicas para motoristas de aplicativos e lista cuidados com álcool em gel nos automóveis. Confira abaixo:

 

Principais problemas Identificados pela falta de uso

 

  1. Descarga da bateria dos automóveis e motocicletas;

  1. Baixo nível de lubrificação dos componentes e motor ou apresentar um fluido lubrificante com maior densidade, necessitando assim de uma limpeza mais profunda e relubrificação total;

  1. Envelhecimento da gasolina no tanque de combustível ocasionando deposição de partículas, que podem apresentar dificuldade ou falha de partida, entupimento dos bicos injetores e até mesmo no carburador, além de possíveis engasgos do veículo durante o funcionamento.

 

Principais cuidados para evitar os problemas citados acima

 

  1. Recomenda-se que os veículos tenham a partida acionada ao menos uma vez na semana durante 15 a 20 minutos. O ideal é que, se possível, os veículos rodem durante esse tempo de acionamento do motor, caso não seja possível, basta ligar a partida dele, jamais faça isso em ambientes fechados. Se o tempo de parada do veículo superar os 30 dias, recomenda-se que a bateria seja desligada aos cabos, evitando assim a descarga total dela;

  1. Em relação à lubrificação, a manutenção preventiva dos fluidos lubrificantes do motor e freios deve ser realizada. Dessa forma, evita-se o baixo nível de óleo lubrificante dos componentes, possibilitando, também, uma prolongação da vida útil do mesmo e fazendo com que a densidade dos fluidos permaneça no ideal;

  1. Os combustíveis têm prazo de validade: a gasolina comum tem validade de 2 a 3 meses no tanque do veículo; já a gasolina aditivada pode ter a validade entre 6 e 10 meses. Os prazos de validade nos tanques dos veículos se diferem das bombas de gasolina, pois nos tanques estão sujeitos a calor e oxigênio, que deterioram o combustível. Recomenda-se, então, que os níveis de combustíveis estejam abaixo da metade da capacidade do tanque para que esse combustível não supere o prazo de validade e abasteça com gasolina aditivada sempre que possível.

 

Recomendações técnicas

 

Após um longo período com os veículos parados, é necessário que se faça uma revisão de lubrificação das pastilhas e disco de freio, troca de óleo e filtro do motor, troca do filtro do ar-condicionado e higienização do veículo. Recomenda-se também que os veículos passem por limpeza interna e que não seja armazenado nenhum tipo de produto perecível internamente. Outra recomendação importante é sobre a checagem dos pneus, pois é aconselhável que os pneus sejam calibrados na calibragem máxima do fabricante ou até 20% acima, evitando assim surpresas desagradáveis como encontrar o pneu murcho ou com deformidades.

 

Recomendações aos motoristas de aplicativo

 

Aos motoristas de aplicativo recomenda-se que utilizem de todos os padrões de higienização pessoal, a utilização de máscaras e a substituição das mesmas a cada 2h, utilização de álcool em gel 70% nas mãos, no volante, câmbio, freio de mão e demais partes onde há o toque frequente das mãos. Ao final do dia, é indicado uma lavagem dos tapetes, higienização com álcool 70% dos bancos, maçanetas e porta-trecos. Como medida preventiva, é importante evitar a utilização e recebimento de dinheiro e moedas em espécie.

 

Álcool em gel dentro do carro

 

O transporte de pequenos frascos individuais dentro do carro não oferece risco, desde que não estejam expostos diretamente a radiação solar e não entrem em contato com fontes de ignição como faíscas, podendo gerar uma combustão dentro do veículo. Dessa maneira, o álcool em gel deve ser armazenado em pequenas embalagens de uso pessoal e devem ser levadas com as pessoas, assim que saírem do veículo.