Polo Covid-19 recebe 15 camas hospitalares para atender pacientes leves

Unidade de saúde possui mais de 30 leitos para acomodar casos leves, que não necessitarão de internação, oferecendo tratamento até irem para casa

Fernando Gonzaga/PMRP

O Polo Covid-19, instalado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da avenida Treze de Maio, recebeu, por empréstimo do Hospital das Clínicas, 15 camas hospitalares para reforçar a estrutura de atendimento a pacientes leves infectados pelo novo coronavírus.

A pediatria passa a centralizar os atendimentos na tenda anexa à unidade de saúde para agilizar o fluxo, isolando os pacientes para evitar contágio.

O Polo Covid-19 já havia recebido, também, sete respiradores para tratamento de pacientes mais graves.

Na manhã desta segunda-feira (13), o prefeito Duarte Nogueira, acompanhado do secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, esteve em visita no Polo Covid-19.

“Os leitos foram criados para dar assistência aos pacientes e, se necessário, serão regulados para o sistema hospitalar de terapia intensiva para continuar o tratamento. As crianças passarão a ser atendidas exclusivamente nessa ala, e os adultos serão atendidos do outro lado, o que diminui as filas e melhora o atendimento das pessoas”, explicou o prefeito.

O secretário da Saúde enfatizou a estrutura reforçada no Polo Covid-19, que exerce a função de hospital de campanha para atender a população.

“O Polo Covid-19 conta com uma estrutura com sete respiradores, onde o paciente pode permanecer até a abertura de uma vaga de CTI na rede hospitalar, recebendo terapia intensiva. Além disso, possui mais de 30 leitos para acomodar os casos mais leves, que não necessitarão de internação, recebendo tratamento até ir para casa”.

Polo Covid -19
O Polo Covid-19 está atendendo a população desde do dia 1º de abril, com atendimento médico e pediátrico 24 horas exclusivo para pacientes com queixas respiratórias e febre – principais sintomas da doença – para evitar exposição a outras pessoas.

O polo funciona como centro específico de atendimento de pacientes com sintomas da doença e atua da seguinte forma: quando o paciente não apresentar sintomas ou tiver sintomas leves, será encaminhado para a ala comum. Os pacientes mais sintomáticos seguirão imediatamente para a ala de isolamento (UPA), de máscara, onde receberão todos os cuidados, medicação, liberação para casa ou, se o caso for grave, internação imediata.

O foco é atender e liberar o paciente o mais rápido possível, sem expô-lo a outras pessoas, diminuindo, assim, a exposição e contato com outros doentes. 80% dos casos são classificados como leves e têm como conduta medicação via oral, em casa, e isolamento social.

A estrutura do Polo Covid-19 segue as recomendações previstas no protocolo de atendimento médico Covid-19 do Ministério da Saúde.