Leitos de UTI para COVID-19 crescem 204% em RP

Município conta, agora, com 201 leitos de UTI; são 135 a mais que em 23 de abril, quando a cidade oferecia 66 leitos de terapia intensiva para tratamento da doença

Alexandre de Azevedo/PMRP

Registrando nova queda na taxa de internação em UTI por COVID-19, que ficou em 89,05% nesta quarta-feira, 22 de julho, Ribeirão Preto tem outros números relevantes a informar à população. Desde o início da pandemia, o número de leitos de UTI e Enfermaria para tratamento exclusivo de pacientes com o novo coronavírus foi ampliado de forma significativa na cidade.

“Em 23 de abril, tínhamos 66 leitos de UTI e 76 leitos de enfermaria, pelo SUS, para tratamento de COVID-19. Hoje, temos 201 leitos de UTI e 239 de enfermaria, somando SUS e particular. São 135 novos leitos de UTI, um crescimento de 204,5%, e 163 novos leitos de enfermaria, um aumento de 214,5%”, esclareceu o prefeito Duarte Nogueira.

Nos outros 25 municípios da região que, junto com Ribeirão Preto, compõem a DRS XIII (Diretoria Regional de Saúde), a estrutura de atendimento para o novo coronavírus também foi reforçada. O número de leitos de UTI passou de 100 para 255, um aumento de 155%, e os leitos de enfermaria passaram de 156 para 377, um aumento de 141,6%.

“Felizmente, ninguém deixou de ser atendido na nossa cidade e na nossa região. Ninguém ficou pra trás, graças a Deus”, lembrou o prefeito.

O boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (22) mostra que o número de casos confirmados da COVID-19 em Ribeirão Preto é de 11.378 (acréscimo de 373 em comparação ao boletim anterior) e o número de óbitos é de 304 (acréscimo de dez em relação ao boletim anterior). Com isso, a taxa de letalidade pelo novo coronavírus na cidade é de 2,6 %.

“Na manhã desta quarta, em reunião com o Conselho Municipalista, do governo do Estado, fiz mais um pedido ao secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para Ribeirão Preto. O envio de mais cinco respiradores para que possamos abrir mais cinco leitos no hospital Santa Lydia”, ressaltou o chefe do Executivo.

O Hospital Santa Lydia passará a receber e atender exclusivamente pacientes com sintomas leves e graves do novo coronavírus. A medida foi tomada esta semana para dar suporte às ações de enfrentamento à pandemia na cidade.

“O hospital possui estrutura com 40 leitos de enfermaria e 20 leitos de UTI. Os pacientes que estavam internados com outras enfermidades já começaram a ser transferidos para outras unidades de saúde. Assim, reforçaremos ainda mais a capacidade de atendimento em Ribeirão Preto”.

Outro tema tratado pelo prefeito na reunião com o Conselho Municipalista foi a necessidade de unificação dos protocolos de tratamento da COVID-19 no estado de São Paulo.

“Nós precisamos ter um alinhamento por parte do Comitê Técnico Estadual com os Comitês Técnicos Regionais de Contingência sobre os protocolos de hidroxicloroquina, cloroquina, azitromicina e ivermectina. Existem prefeituras que estão adotando os protocolos, e outras que não estão. Então, a população acha que o prefeito que não adotou está sendo negligente, mas é ao contrário. Os prefeitos que não adotaram é porque o protocolo ainda não foi formalizado, então precisamos ter o mais rápido possível a definição do Comitê Estadual de Contingenciamento, se terá o protocolo ou não”, concluiu o chefe do Executivo.