Atividades não essenciais seguem suspensas em RP pelos próximos 15 dias

Município continua na fase vermelha do Plano São Paulo; prefeitura trabalha na abertura de novos leitos de UTI, ampliação do número de respiradores e de testagem

Alexandre de Azevedo/PMRP

A prefeitura de Ribeirão Preto publicou nesta sexta-feira, 24 de julho, o Decreto nº 170, prorrogando a suspensão das atividades não essenciais na cidade com o objetivo de evitar a propagação do novo coronavírus. O município continua na fase vermelha do Plano São Paulo e a prefeitura segue trabalhando para ampliar o número de leitos de UTI, de respiradores e a testagem da população para o enfretamento da COVID-19.

Publicado no Diário Oficial do Município, o Decreto nº 170 estende até o dia 2 de agosto o prazo que venceria no próximo dia 26 de julho. “Entendo que muitos estão apreensivos, nervosos, preocupados, passando por dificuldades financeiras neste momento em que o comércio, bares, restaurantes estão fechados. Peço a vocês paciência para atravessarmos esta etapa que não tem sido fácil para ninguém. Para que a economia volte, vamos nos unir nestes dias, para que o vírus, que não tem remédio, não tem vacina, pare de circular com tanta intensidade em nossa cidade”, declarou o prefeito Duarte Nogueira em transmissão ao vivo pelas redes sociais.

“Vamos, cada um de nós, fazer a parte que nos cabe. Nós, aqui na prefeitura, estamos fazendo nossa parte, garantindo mais leitos, respiradores, ampliando a testagem para maior controle da doença. Vocês que estão em casa, estão fazendo a parte de vocês. Aqueles que se protegem, ao sair de máscara estão fazendo a parte deles. Só assim conseguiremos retomar as atividades com segurança”, afirmou o chefe do Executivo.

O boletim epidemiológico desta sexta-feira (24) aponta para o registro de 11.963 casos confirmados de COVID-19 (acréscimo de 283 novos casos) e 319 óbitos (acréscimo de nove mortes). A taxa de letalidade é de letalidade 2,7%.

De acordo com os dados apresentados pela DRS XIII (Divisão Regional de Saúde), que contempla Ribeirão Preto e mais 25 municípios, a região só não avançou de fase no Plano São Paulo pelo indicador referente ao número de leitos livres.

De acordo com o plano, a média de leitos ocupados dos últimos sete dias ficou em 91,4%. Já os indicadores como o número de leitos para cada 100 mil habitantes e a variação do número de casos, alcançaram a cor verde. Os indicadores da evolução da epidemia, como a variação de internações, ficou em 0,99, portanto, na faixa amarela, e a variação de óbitos em 1,10, na faixa laranja.

“Esses números representam que há um controle da epidemia na região, especialmente em Ribeirão Preto, não só pelos investimentos na área da saúde pública, como pelos excelentes profissionais da saúde que a cidade e, também, maior conscientização da população nas medidas de prevenção da doença”, acrescentou o chefe do Executivo.

Dados da plataforma LeitosCovid.org (https://leitoscovid.org/sp/ribeirao-preto), que atualiza informações sobre as internações pelo novo coronavírus na cidade em tempo real, a taxa de ocupação de leitos de UTI por COVID-19 ficou em 87,75% no final da tarde desta sexta-feira, enquanto a ocupação de leitos de enfermaria ficou em 82,40%.

“A partir desta semana, o Hospital Santa Lydia, que recebeu ontem mais cinco novos respiradores para incrementar a estrutura de Terapia Intensiva, atenderá exclusivamente pacientes infectados pelo novo coronavírus”, concluiu Nogueira.