Ribeirão Preto e Franca entram novamente para fase laranja devido à Covid-19

Foram alterados os critérios que determinam se as regiões podem avançar, permanecer ou regredir nas faixas do Plano São Paulo

Agência Brasil/Divulgação

Na atualização do Plano São Paulo deste sexta-feira, 04 de setembro de 2020, regiões do estado avançaram de fase, sendo que 95% das áreas devem estar na fase amarela. Há regressão, no entanto, na região de Ribeirão Preto, que volta da fase amarela para a laranja. A região de Franca também segue no estágio laranja.

A fase laranja é considerada “fase de atenção, com eventuais liberações”, diferente da amarela que é a “fase controlada, com maior liberação de atividades”.

Outras cinco regiões acabaram avançando de estágio, da laranja para a amarela: São José do Rio Preto, São João da Boa Vista, Presidente Prudente, Marília e Registro. De acordo com o governador João Doria, o Estado registra há quatro semanas, queda no número de óbitos e de infecção da covid-19.

Com isso, a abertura de bares e restaurantes para o público volta a ser proibida. Somente as modalidades delivery, drive-thru e take out estão liberadas. Academias e salões de beleza também fecham as portas nos 26 municípios da região.

Na região de Ribeirão Preto, houve uma piora em relação à última atualização. Há 14 dias, o índice era de 64,9%. Na sexta-feira passada, subiu para 68,9% e agora está em 69,9%.

Setor de bares e restaurantes foi um dos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus e anda na contra mão.

Mês anterior, donos de bares e restaurantes de Ribeirão Preto foram até a porta da prefeitura para pedir o relaxamento das medidas e a reabertura do comércio, mesmo com restrições.

Com a nova decisão, proprietários receberam a notícia não muito agradável. Foram pegos de surpresa pela nova decisão de fechamento do comércio food, pois os mesmos já haviam recontratado funcionários afastados e refeita a compra de estoque de abastecimento para o comércio.

Somente sistemas de delivery (receber produtos em casa) e drive-thru (retirar produtos no local, sem descer do veículo) são permitidos.

Cerca de 2.000 empresas do setor de alimentação, que inclui bares e restaurantes, encerraram as atividades em Ribeirão Preto desde o começo da pandemia do novo coronavírus, em março.

Os dados foram levantados pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e representam um terço do total de empresas desse tipo na cidade.