Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto lança livro em suas redes sociais

Neste ano, em função da pandemia da Covid-19, o evento teve que ser feito remotamente durante live no canal da entidade

Capa do livro "Cordel do Isolamento"
4

Desde 2015, o Colégio Anglo Ribeirão realiza atividades culturais com seus alunos, sempre lançando uma coletânea dos estudantes, abordando temas diversos e atuais, com orientação da professora Cláudia Maria Cantarella Silva. Mas, foi em 2016, através de uma parceria com a Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, que seus eventos passaram a ser realizados na Feira Internacional do Livro (FIL). Neste ano, o livro “Cordel do Isolamento” foi lançado de forma diferente: durante live no canal oficial da Fundação no Youtube, no dia 24 de setembro. O lançamento teve que ser realizado de forma remota em função da pandemia da Covid-19, isolamento social e adiamento de diversos eventos culturais, inclusive a FIL.

A transmissão, ao vivo, contou com a participação de alunos, colaboradores, docentes e pais. Além da apresentação do livro, a ação contou com vídeos de leitura de cordel do grupo de teatro do colégio e premiação dos melhores desenhos e textos inspirados na cultura do cordel. “Não é porque temos uma pandemia que vamos deixar de fazer aquilo que mais gostamos que é florescer nos alunos a ideia, o desafio e a maneira da expressão”, disse José Jorge Abbud Neto, diretor do Anglo Ribeirão. Segundo o diretor, o Cordel, quando assistido pessoalmente, impressiona o público por ser uma arte que utiliza a oralidade e o desafio de rimas.

Marcelo Filipecki, assistente de coordenação e psicólogo da escola, durante o lançamento, parafraseou dois pensadores importantes, Stephen Hawking e Henry David Thoreau, para explicar a importância da leitura durante a pandemia. “A leitura tem a capacidade de nos fazer adaptar às mudanças e novas situações. A arte em geral faz isso. A leitura e escrita são formas de arte”, alertou.

Já a professora Claudia Elisa Borges destacou que a cultura é um conjunto de elementos da sociedade e o trabalho feito com o Cordel, abriu a possibilidade de transmissão de ideias e sentimentos com a palavra. “Acredito muito na força deste trabalho”.

Na premiação dos melhores desenhos e textos, o vencedor da terceira colocação, na categoria Ilustrações de Cordel, foi João Paulo Mendonça, que ganhou um voucher de R$ 70,00 da Livraria Cultura e um Kit Anglo, com materiais da escola. O segundo lugar ficou para o aluno João Victor Freitas, que levou para casa um voucher de R$ 100,00 e um Kit Anglo. O primeiro lugar ficou para aluna Beatriz Fernandes Barbosa, que ganhou um voucher de R$ 130,00, além do Kit Anglo.

Também foram premiados na categoria Literatura de Cordéis. Com o título “Sou Nordestino”, a aluna Aimée Saad ficou com o 3º lugar. O segundo lugar ficou com o texto “O dançarino”, de Julia Rosa Targon. O primeiro colocado foi a obra “Morte e Vida: Corovina”, de Isabela Capato.