Músicos se juntam 30 anos depois para regravar canção de sucesso dos anos 1980

9

Quem viveu os anos 1980 se lembra da era de ouro dos bailes de clubes naquela época. E quem frequentou bailes, vai se lembrar do Grupo Nós, de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo: banda revolucionária que inovou em todos os sentidos, seja musicalmente, seja em tecnologia de equipamentos, com produção de verdadeiros espetáculos musicais em suas apresentações, numa época e num mundo muito diferentes dos dias de hoje.

Mesmo estando fora do eixo Rio-São Paulo, a banda emplacou várias canções autorais na programação de rádios de todo o Brasil, além de ter participado de inúmeros e importantes programas de televisão, alcançando grande sucesso que segue até os dias de hoje.

Fundado por Jonnhy Oliveira e Henrique Barstch, já falecidos, o Grupo Nós lançou, no final dos anos 1980, a canção “Fui Eu Quem Quis Assim”, de autoria de Reo e Gordo Lima. Um hit que figurou e liderou muitas das paradas de sucesso nas principais FMs da época.

E agora, mais de 30 anos depois, vários músicos que passaram pelo Grupo Nós, alguns deles que ainda integram a banda nos dias de hoje, se juntaram e regravaram a canção, numa releitura que contou ao todo com 23 músicos, espalhados pelas mais diversas cidades e países.

A ideia surgiu de um encontro virtual entre Ricardo Fábio, Ferpa, Eduardo Dias, Gordo Lima e Reo realizado há cerca de seis meses, no auge da pandemia. Os músicos e amigos, integrantes do Grupo Nós, tiveram a ideia de regravar a canção.


Para isso, convidaram vários outros músicos que os sucederam no Grupo Nós até os dias de hoje, além de alguns outros artistas que incluíram a música em seu repertório, como o caso da banda ribeirão-pretana Playvinil, que a gravou em 2011, também, quando lançou seu primeiro disco.

Segundo Ricardo Fábio, “esse acabou sendo o melhor momento para que todos se reunissem. Já tínhamos tentado isso antes, presencialmente, mas não tinha sido possível. Com a pandemia, uma situação mais difícil, acabou acontecendo aquilo que não ocorreu antes. E foi com essa música, porque ela é, sem dúvida, a mais emblemática do Grupo Nós”.

Com a ideia lançada, o grande desafio foi juntar todos artistas em diversas cidades e em outros países além do Brasil, como em Portugal e até no Japão. Os principais canais utilizados foram a internet, smartphones e um grupo no aplicativo WhatsApp. Algo impensável de se fazer no final dos anos 1980.

O trabalho de gravação foi coordenado em Ribeirão Preto, na Nova Digital Produtora e contou com gravação e edição de Pedro Sossego e mixagem de Horácio Silveira. A produção executiva é de Evandro Grili e Elis Vilela. A masterização também foi feita em Ribeirão Preto, sob os cuidados de Sandro Resende, na Finalize Audio Mastering. Ao todo, foram mais de 120 canais de gravação. Alguns músicos produziram de suas cidades e países e mandaram os arquivos pela internet para o estúdio em Ribeirão. Outros gravaram diretamente nos estúdios da Nova Digital.

Horácio Silveira, da Nova Digital, conta que “foi um trabalho desafiador, mas ao mesmo tempo fácil de executar, porque foi criada uma versão base que acabou se servindo de ¨cama¨ para que todos os demais músicos pudessem executar as suas partes na música”. Além disso, completa Horácio, “o time de músicos é de primeira categoria, o que facilita muito o trabalho em estúdio”.

O desafio seguinte foi criar um clipe juntando todo mundo. Aí é que a música fica, realmente, com cara de século XXI, em tempos de pandemia. Munidos de seus smartphones, os artistas gravaram em casa as suas participações nos trechos da música e mandaram quase uma centena de arquivos de vídeos que foram editados por um dos autores da música, o compositor Reo. Ele conta que foram horas e mais horas de edição, escolha dos vídeos, aplicação de efeitos, para chegar ao trabalho final do clipe que foi lançado no Youtube da Nova Digital Produtora no último domingo (21/12). Reo comenta que “editar vídeos é um trabalho de paciência, quase artesanal. E assim foi essa produção, feita durante muitas horas de dedicação e com muita vontade de fazer o melhor possível”.

Participaram da gravação os músicos Ricardo Fabio, Reo, Gordo Lima, David Lima, Ferpa Schmidt, Gê, Andre Barbieri, Victor Grili, Pedro Grili, Felipe Ribeiro, Edison Prego, Caetano Bartsh, Rafael Vilas Boas, Diego Maya, Francis Valadj, Fernando Japão, Fabinho Cruzato, Pedro Sossego, Ezio Jemma, Eduardo Dias, Alex De Rizzo, Fernando Perereca e Rodolfo Rodclim.

Resultado de Visualizações

Em menos de 24 horas de lançamento do clipe, o vídeo do Youtube já conta com milhares de visualizações e a canção já estreou em várias rádios do Estado de São Paulo. Em alguns casos, os locutores e produtores das FMs viram a repercussão do clipe nas redes sociais, 30 anos depois, e fizeram contato com os músicos e com os produtores para reincluir a canção na programação das emissoras.

A iniciativa de amigos músicos para juntar as pessoas em tempos de pandemia, acabou tornando-se uma grande ação artística e musical que ainda só está no começo. Segundo Ferpa Schmidt, “o resultado de tudo é só mais uma prova da força da música ¨Fui Em Quem Quis Assim¨ e do poder da arte como ferramenta que as pessoas têm, hoje em dia, para enfrentar a pandemia e o isolamento social, em qualquer parte do mundo”.

Como está descrito no clipe da música, publicado no Youtube, o trabalho também é uma forma de homenagear Jonnhy Oliveira e Henrique Basrtch, fundadores do Grupo Nós. Atualmente, a banda continua em atividade, comandado pelos filhos de Jonnhy e Henrique, Rafael Vilas Boas e Caetano Barstch, respectivamente, que também fizeram parte desse trabalho.

Para conferir o clipe acesse o link:
https://www.youtube.com/watch?v=ziMUC1PgCtg ou digite “Fui Eu Quem Assim 2020” na ferramenta de procura do YouTube.