Assistência Social lança projeto “PertenSER”

A ação acontece nesta terça-feira, 23 de fevereiro, na Praça da Bandeira, região central da cidade

Divulgação
1

A política municipal para pessoas em situação de rua preconiza o atendimento articulado, por meio de uma rede integrada de atenção em diversos setores públicos e a sociedade civil. De acordo com o Instituto Limite, Organização da Sociedade Civil que executa o Serviço de Abordagem Social – SEAS, há no município aproximadamente 1.127 pessoas em situação de rua, e uma média de 180 abordagens mensais.

Diante dessa realidade, a Secretaria de Assistência Social lança nesta terça-feira, dia 23 de fevereiro, o projeto “PertenSER”, que tem por objetivo o acompanhamento longitudinal em busca da reinserção social, aproximação de vínculo com a equipe, oferta da rede pública de atendimento e, principalmente, a orientação e conscientização de comerciantes e moradores sobre os efeitos negativos da esmola, seja ela roupa, alimento ou dinheiro.

A primeira ação será realizada na Praça da Bandeira, logo pela manhã, com membros do Projeto Pontes e Coletivo Acalma. O atendimento será promovido pela equipe do Centro POP, Programa Recomeço e Consultório na Rua. A busca ativa e abordagem social serão feitas pela equipe do SEAS.

A orientação e sensibilização de mecanismos de apoio e atendimento à população de rua serão realizadas pela equipe de Educadores Sociais da SEMAS. Também será oferecido um café da manhã e higiene pessoal.

Renata Corrêa Gregoldo, secretária da Assistência Social, comenta a importância da ação. “Nossa intenção é que o PertenSER se transforme num projeto. Vamos iniciar com essa ação que tem como principal objetivo gerar vínculos com essas pessoas. Em todas as ações, vamos trabalhar a singularidade de cada pessoa que está nessa situação”.

Com frequência, a abordagem enfrenta muita resistência em tirar as pessoas das ruas. Para este impasse, a secretária garante que a Semas está preparada. “Muito se fala que essas pessoas não querem sair das ruas, mas a Semas está engajada para mudar essa situação e entender o porquê elas não querem sair das ruas, ouvindo e preparando para que saiam e retomem sua vida novamente”.