Nova onda de Covid-19: Como lidar com a ansiedade?

Psicólogo do Sistema Hapvida traz dicas de como aliviar tensão e insegurança durante pandemia

Dr. Guilherme Ciribelli, psicólogo do Grupo São Francisco, que faz parte do Sistema Hapvida
5

A pandemia da Covid-19 ainda não deu trégua à população mundial. O novo aumento dos casos, as variantes do vírus, a preocupação com as pessoas infectadas, os desdobramentos da economia e as incertezas quanto ao futuro seguem afetando a saúde física e mental das pessoas. Mas, segundo o Dr. Guilherme Ciribelli, psicólogo do Grupo São Francisco – que faz parte do Sistema Hapvida – é possível passar por esse período de forma saudável.

“A possibilidade de infecção é real. Há incertezas em relação a essa ‘nova onda’ e a pandemia segue por um longo período. Tudo isso assusta, afeta a saúde mental e gera ansiedade sobre o futuro, pois ela nada mais é do que o entendimento de que não há controle”, explica o psicólogo.

Porém, o Dr. Ciribelli reforça que existem formas de amenizar essa ansiedade, aliviar a tensão e a insegurança. “Uma boa dica é o enfrentamento das adversidades do momento. Não se curvar a elas. Esse processo é chamado de resiliência e ajuda demais”, diz.

De acordo com o psicólogo, no cenário atual, é preciso utilizar as habilidades cognitivas para soluções de problemas como, por exemplo, o otimismo e a fé. “Temos que tentar o máximo nos afastar de pensamentos negativos, pessimistas, deixar de buscar informações em meios que não sejam científicos, como as fake News, além de evitar ser monotemático, ou seja, falar apenas da Covid-19”, orienta.

Esperança como ‘antídoto’

Para o Dr. Ciribelli, procurar ajuda de amigos, familiares e profissionais da saúde é fundamental para amenizar a ansiedade e enfrentar esse novo período de alta no número de contaminações.

“Sempre falo para meus pacientes que o grande ‘antídoto’ da ansiedade é a esperança, por mais que a gente não saiba o que acontecerá amanhã. Não devemos nos angustiar. Devemos ter esperança, acreditar que o futuro será melhor que o hoje e repensar nossas vidas como um todo”, conclui.