Dia Internacional da Mulher reforça a importância dos cuidados com a saúde

5

O Dia Internacional da Mulher, celebrado mundialmente em 08 de março, é uma referência à jornada de conquistas pela igualdade social e por melhores condições de vida. Assim, a data contribui para reforçar a importância dos cuidados com a saúde visando uma boa qualidade de vida e a prevenção de doenças.

No Brasil, as principais causas de morte entre as mulheres são doenças cardiovasculares e as neoplasias malignas como o câncer de mama e câncer do colo do útero, que tem maior chance de tratamento e cura se for detectado precocemente por meio de exames preventivos.

De acordo com uma pesquisa realizada, em 2020, pela Federação Brasileira da Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) cerca de 5,6 milhões de mulheres brasileiras não costumam consultar um ginecologista-obstetra, 16,2 milhões não passam por consulta há mais de um ano e 4 milhões nunca procuraram um profissional.

O levantamento identificou ainda que 31% não busca um ginecologista por se considerarem saudáveis, mesmo sem terem passado por avaliação médica, enquanto 22% não acham importante ou necessário.

A oncologista Cristiane Mendes, do InORP Oncoclínicas, ressalta que a realização de exames periódicos de prevenção auxilia no diagnóstico precoce aumentando as chances de tratamento e de cura dessas neoplasias.

“Os exames preventivos têm o objetivo de identificar alterações na saúde da mulher mesmo antes da paciente apresentar sinais e sintomas das doenças, já que por meio de um diagnóstico precoce é possível melhorar as chances de tratamento e cura de doenças como o câncer de mama, do colo do útero entre outros”, diz Cristiane.

De acordo com os dados do Programa Nacional de Controle do Câncer do Colo do Útero (SISCOLO), em 2020, as pacientes residentes em Ribeirão Preto realizaram 197 exames de câncer de colo do útero por meio do atendimento do SUS, sendo que 128 casos foram detectados com resultado citopatológico alterado, o que representa 65% dos atendimentos.

Já os dados do Programa Nacional de Controle do Câncer de Mama (SISMAMA), por meio do atendimento do SUS, aponta que, em 2020, as moradoras de Ribeirão Preto realizaram 205 exames de câncer de mama por meio do atendimento do SUS, sendo que em 120 dos casos foram detectados com risco elevado, o que é equivalente a 58% dos pacientes.

“O exame citopatológico – popularmente chamado de papanicolau – é eficiente e muito utilizado para rastrear lesões que podem provocar o câncer do colo do útero. Dados do INCA apontam uma redução de 80% da mortalidade com o diagnóstico precoce e o tratamento das lesões precursoras. Já nos casos de câncer de mama, quando descoberto no início, a doença tem 95% de chance de cura”, ressalta Cristiane.

 

Cristiane Mendes, Oncologista do InORP Oncoclínicas. Divulgação