Ribeirão Preto aumenta capacidade de oferta de oxigênio nas unidades de saúde

Estratégia adotada garante atendimento aos pacientes que necessitam de assistência

Fernando Gonzaga/PMRP
9

A Secretaria Municipal da Saúde iniciou nesta terça-feira, dia 16 de março, a instalação de tanques de oxigênio com maior capacidade de armazenamento no Polo Covid 2, instalado na UBDS Central, nas UPAs – Unidades de Pronto Atendimento Norte e Oeste e no Hospital Santa Lydia.

Na UBDS Central, o tanque que comportava 980 metros cúbicos de oxigênio passará para capacidade de armazenamento de 1.6 mil metros cúbicos.

Nas UPAs Norte e Oeste, os novos tanques terão a capacidade de 1.6 mil metros cúbicos de armazenamento de oxigênio cada, para assistência dos pacientes.

 

 

Já a substituição do equipamento no Hospital Santa Lydia passa de cinco mil para nove mil metros cúbicos de armazenamento de oxigênio.

 

A previsão de conclusão da implantação dos tanques é para dia 26 de março.

 

Ação faz parte do conjunto de estratégias adotadas pelo município para garantir atendimento e assistência aos pacientes que necessitam, diante do aumento do número de internações causadas pelo novo coronavírus (Covid-19).

 

 

Segundo o secretário da Saúde, Sandro Scarpelini, Ribeirão Preto não apresenta índices de uma possível crise de oxigênio, como está ocorrendo em outras regiões do país.

 

O abastecimento é feito de forma semanal pela empresa fornecedora. Com a instalação dos tanques, as unidades ampliam a capacidade de atendimentos.

 

“É uma medida preventiva para que Ribeirão Preto continue sendo uma das cidades referência no combate ao coronavírus e dar suporte para os profissionais da saúde trabalharem com um único objetivo, salvar vidas”, finalizou o secretário.